sexta-feira, 14 de julho de 2017

Como manter a organização com as crianças de férias

Este post foi feito, a pedido da querida leitora Maria Alves, e como cada pedido é muito importante, aqui vai o mesmo!

Manter a casa organizada com crianças de férias não é tarefa fácil, principalmente quando são pequenas, até porque as crianças, adoram espalhar tudo o que é brinquedo pela casa.

Imagem retirada da Internet
É muito importante não só nas férias, como também durante o ano, incentivar a organização nas crianças e a importância de cuidar dos seus brinquedos e pertences.

Aqui vão algumas dicas para manter a casa organizada e arrumada com crianças de férias:

Imponha regras – Claro que todas as crianças adoram espalhar os brinquedos pela casa, mas há que impor algumas regras para que a casa não se transforme num verdadeiro caos. Por exemplo, depois de brincarem as crianças devem arrumar os seus próprios brinquedos, para isso é importante arranjar cestas ou caixas e ensiná-las onde guardar cada brinquedo.

É também importante determinar o lugar onde devem brincar e obriga-los a seguir o lema: parou de brincar com determinado brinquedo deve imediatamente guardá-lo, para que o local não se torne um caos e assim, seja mais difícil posteriormente, guardá-los todos.

Incentive a organização – Ora os filhos tendem a copiar os pais. Se os pais forem organizados, será mais fácil que filhos também o sejam. Claro que nem sempre funciona, principalmente se estivermos sempre lá, para fazermos tudo aquilo que eles não gostam de fazer, tornando-os assim obviamente dependentes e sem responsabilidade das suas tarefas.

Há tarefas domésticas, que eles podem aprender mesmo sendo pequenos, tais como: deitar no cesto a roupa suja, arrumar brinquedos e livros, ajudarem a fazer a cama, ajudarem a arrumar o próprio quarto, etc. Em suma, pequenas tarefas que eles sejam capazes de fazer, e que os incentive a serem autónomos.

Eu sei, que muitas das vezes em vez de ajudarem até atrapalham, mas o que é importante é incentivá-los a fazerem pequenas tarefas desde cedo.

Ao ensinarmos as regras básicas da organização, estamos a ajudá-los a serem disciplinados, o que vai gerar um sentido de responsabilidade para o seu futuro.

Imagem retirada da Internet
Use e abuse de caixas e cestas – Para conseguir que as crianças sejam organizadas temos que dar-lhes as ferramentas certas. Caixas e cestas organizadores são essenciais para ajudar na organização dos brinquedos. Para facilitar a arrumação dos brinquedos, o melhor é optar por caixas transparentes, para que o seu conteúdo fique visível e/ou faça etiquetas identificando o que está em cada caixa. Para crianças que ainda não sabem ler pode colocar etiquetas com imagens ou fotografias coloridas de cada tipo de brinquedo. Isto vai motivá-las a manter tudo em ordem.

Deixe alguns cestos ou caixas, nas divisões da casa onde as crianças mais brincam, sala, jardim, etc.

Mantenha os brinquedos acessíveis e organizados por categoria, para que seja mais fácil o seu manuseamento pelas crianças.

Imagem retirada da Internet
                           
Imagem retirada da Internet
Imagem retirada da Internet
Mantenha certas rotinas – Certamente que as rotinas não precisam ser rígidas como se estivessem na escola, mas as rotinas continuam a ser importantes, até para que o tempo seja gerido duma forma produtiva e aproveitem melhor os dias.

Com as férias a flexibilidade dos horários é maior, até para que, as crianças se possam efetivamente sentir em férias.

Faça uma programação de férias – Como é óbvio, é super importante a criança ter atividades também fora de casa, e não ficarem confinadas a casa. Caso contrário, é lógico, que a casa estará sempre com brinquedos espalhados pela casa, até porque eles precisam de se entreter com alguma coisa. Brincar é saudável, incentiva a parte criativa da criança, e é essencial para um crescimento equilibrado.

Como cada criança é diferente e com necessidades distintas, há que saber gerir essas mesmas necessidades.

Imagem retirada da Internet
Espero ter ajudado de alguma forma com estas dicas, as mães com filhos pequenos, a organizarem a casa nas férias!

Obrigada por seguir o Blog!

Marlene Borges

quinta-feira, 6 de julho de 2017

A importância das rotinas domésticas

Todos nós lutamos contra o tempo e tentamos fazer o nosso melhor para termos uma vida mais organizada e mais facilitada. Mas nem sempre somos bem-sucedidos principalmente no que diz respeito às nossas rotinas domésticas.

Imagem retirada da Internet
A grande vantagem da rotina é conseguimos gerir o tempo, estruturando-o de uma forma estável. Essa estrutura vai ajudar-nos a fazer determinadas tarefas automaticamente, e sem pensar muito.

Cada pessoa é diferente, portanto cada um de nós tem que procurar a rotina doméstica que melhor se adapte ao seu estilo de vida.

A palavra rotina, para uma grande parte das pessoas é sinónimo de tédio, e por isso achamos, que tudo o que tenha a ver com a palavra é visto com maus olhos. É um mito que deve acabar, porque sem rotinas não há previsibilidade e sem previsibilidade não há segurança.

Posto isto, vamos aos benefícios de uma rotina doméstica:

A rotina ajuda-nos a poupar tempo e dinheiro – A simples razão por exemplo, de anotarmos os produtos alimentares numa lista, conforme vão acabando, ajudará muito quando formos às compras, porque compramos só o necessário e não gastamos dinheiro de forma supérflua, ou se fizermos um menu semanal saberemos o que comprar e o que iremos comer durante a semana. O facto de mantermos a nossa casa arrumada com a rotina do dia-a-dia, faz-nos gostar de lá vivermos, e se alguma visita inesperada aparecer não nos preocupamos porque a casa está minimamente arrumada.

A rotina traz segurança os nossos filhos – As crianças sentem-se mais seguras e equilibradas quando têm uma rotina, porque as ajuda a antecipar o que elas próprias têm a fazer, e a cumprir as suas tarefas duma forma autónoma. É também muito mais fácil organizar o dia-a-dia das crianças, se houver uma sequência estável e duradoura do que têm a fazer. Isto já para não falar na criação de hábitos, que lhes darão arcaboiço para a vida futura.

A rotina assegura que nada fica por fazer – As rotinas vêm dos hábitos no nosso dia-a-dia, que garantem que nos lembramos de tudo o que temos para fazer, porque o fazemos de forma automática. Um hábito, segundo estudos feitos levam pelo menos 21 dias a entrarem na nossa rotina, por isso a persistência dos mesmos é muito importante e crucial para que funcionem.

As rotinas ajudam-nos a simplificar o nosso dia-a-dia, e não têm que ser inflexíveis, temos é que estabelecer prioridades e saber geri-las duma forma sustentável e continuada.

O segredo para executar com sucesso as tarefas domésticas é fazer todos os dias um pouco, e nesses dias conseguir encaixar as tarefas domésticas semanais, para que não tenhamos que passar o fim-de-semana a fazê-las.

Já ficou convencida/o, espero que sim!

Obrigada por seguir o Blog!

Marlene Borges

terça-feira, 4 de julho de 2017

As minhas tarefas domésticas diárias

Atualmente a minha rotina diária e semanal é completamente diferente, da que tinha quando trabalhava fora. Nessa altura tudo era mais fácil, porque tinha uma empregada todos os dias, da parte da tarde, que me ajudava nas tarefas domésticas mais pesadas e chatas de fazer.

Imagem retirada da Internet
Apesar de ter empregada, havia tarefas que fazia todos os dias, sem exceção, tais como: arrumar a cozinha depois do jantar, por a máquina da roupa a lavar e estendê-la, arrumar a roupa passada a ferro (sempre gostei de arrumar a roupa passada a ferro, para que ficasse devidamente ordenada), destralhava as pequenas coisas do dia-a-dia, (deitar ao lixo embalagens vazias, folhetos publicitários, envelopes usados, em suma tudo o que fosse para deitar fora). O meu marido costumava gozar comigo, dizendo que eu estava a arrumar a casa, para a empregada!

Além destas coisas que fazia diariamente, a organização estava a meu cargo como é óbvio, porque sempre adorei fazê-lo.

Hoje a realidade é outra, já não tenho empregada, e tenho que ser eu a fazer as tarefas domésticas, mesmo aquelas que sempre detestei fazer.

O que faço de manhã

Todos os dias, exceto aos fins-de-semana, que vou para o Douro, levanto-me às 8 horas, para preparar o almoço e lanche da minha filha para levar para o emprego, e faço o pequeno-almoço do meu marido. Quando saem, chegou a hora de eu tomar o meu pequeno-almoço, gosto de sentar-me e tomá-lo com calma. De seguida meto na máquina a louça do pequeno almoço, e retiro do congelador o jantar.

Depois, abro as janelas da casa para arejar e arranjo-me. De seguida faço as camas, guardo as roupas que não forem para lavar e dou uma limpadela rápida às casas de banho, e aspiro-as com o aspirador de mão.

Retiro os lixos das casas de banho e cozinha.

Posteriormente arrumo o que está fora do lugar, e passo rapidamente o aspirador de mão pela casa (exceto nos dias, que a aspiro com o aspirador normal).

Coloco roupas na máquina da roupa, e assim que esta lavar, estendo-a logo, para evitar que fique amarrotada. Depois da roupa seca, dobro-a e a que não for para passar, guardo-a logo.

Nunca faço o almoço, porque a meu marido e a minha filha almoçam fora. Eu e o meu filho arranjamo-nos com sobras do dia anterior, ou desencantamos qualquer coisa para almoçar (eu já aqui mencionei o quanto detesto cozinhar, e sempre que posso, fujo a essa tarefa!!).

O que faço à tarde

Depois do almoço, que é por volta das 2 horas e depois de arrumar a cozinha, vou para o computador, trabalhar para o blog (que inclui fazer pesquisas) a fazer posts, publicar no facebook, responder a e.mails, pagar contas, etc.

Fazer os posts pode não parecer, mas demora bastante tempo. Por vezes estou 4 horas seguidas a trabalhar para o Blog, o que para mim é sempre um prazer e um escape ao stress.

Ao fim da tarde, começa a minha saga na cozinha.  Começo a preparar todos os ingredientes antes de cozinhar e conforme vou cozinhando, meto a louça que usei na máquina e deito logo no lixo reciclável, as embalagens vazias. 

Desta forma quando vou jantar já tenho a cozinha arrumada, depois é só colocar na máquina a louça usada ao jantar, limpar o fogão e aspirar com o aspirador de mão algo que esteja sujo. Apesar que eu, sempre que sujo algo tenho por costume limpar logo.

Somando às tarefas diárias, ainda encaixo diariamente uma tarefa semanal (passar a ferro, aspirar, limpar o pó, etc.). Mais à frente farei um post com as minhas tarefas semanais.

Obrigada por seguir o Blog!

Marlene Borges

sexta-feira, 30 de junho de 2017

Receita caseira para limpar vidros

Ora aqui está outra tarefa, que tenho que fazer cá em casa, mas que venho adiando, porque é muita janela e algumas janelas bem grandes para limpar! Confesso que estou a pensar seriamente em contratar alguém, para o fazer desta vez, porque só de olhar para a quantidade de janelas e vidros a limpar, já fico cansada e desanimada.

Imagem retirada da Internet
Mesmo com todas as boas dicas do mundo, limpar vidros é uma tarefa penosa, difícil e que pode levar imenso tempo.

Para os mais corajosos, aqui vai um produto caseiro, que funciona bem (eu já testei) e que minimiza o esforço na limpeza das janelas e vidros.

Coloque num borrifador água, vinagre e álcool em partes iguais, a esta solução junte uma gota de detergente da louça.

Depois agite o borrifador, para que os ingredientes se misturem. Borrife esta solução nos vidros, e espalhe com um pano húmido ou jornais, depois seque de imediato com um pano seco.

Use panos macios que não arranhem os vidros, e que não soltem fiapos ou pelos. Claro que existem no mercado, imensos tipos de panos, pensados na limpeza de vidros. Escolha um da sua preferência, ou então opte por usar panos velhos de algodão ou até mesmo fraldas.

Se os vidros estiverem muito sujos, utilize primeiro uma esponja húmida com água morna, para retirar a sujidade maior.

Para evitar que os vidros fiquem manchados, nunca os limpe, com o sol a bater neles.

A limpeza deve ser feita por partes, primeiro a parte de cima, e depois a de baixo, para evitar que o produto evapore e manche os vidros.

Os produtos caseiros não são abrasivos, e acima de tudo são amigos do ambiente.

Se conhece outras dicas caseiras de limpeza de vidros, partilhe nos comentários abaixo.

Obrigada por seguir o Blog!

Marlene Borges

quarta-feira, 28 de junho de 2017

Organize o seu armário

Este post foi feito a pedido da querida leitora Daniela Silva. É sempre um prazer partilhar e ajudar com dicas que facilitem o dia-a-dia, já de si tão complicado com tantas solicitações e afazeres!

Há dois objectivos importantes no que toca a organizar um armário. O primeiro é que tudo fique prático, acessível e harmonioso, o segundo a importância da visualização de todas as peças para que estas não fiquem “escondidas” e deixem de ser usadas.
Imagem retirada da Internet
Um armário organizado faz-nos ganhar imenso tempo, principalmente quando estamos com pressa e procuramos algo específico para vestir.

Todos sabemos que a organização do armário facilita o nosso dia-a-dia, além de nos dar uma noção exata da roupa que temos.

Vamos então às dicas, para manter o armário sempre organizado:

A primeira dica é, como não podia deixar de ser, destralhar tudo aquilo que não é mais usado, que não serve ou que está estragado e não tem arranjo.

Destralhar é o primeiro passo, para quem quer organizar devidamente o armário, e queira mantê-lo organizado.

A organização do armário depende de dois fatores, o seu tamanho e a quantidade de roupa que temos para arrumar. É impossível guardar muita roupa quando temos um armário minúsculo, tudo deve ter as proporções certas.

Uma boa opção quando se tem um armário pequeno é guardar a roupa, conforme a estação do ano. Isto é se estamos no verão guardamos a roupa de inverno na parte de cima do armário ou em malas. Apesar que eu sou a favor de guardar sempre a roupa que não está a ser usada, independentemente se temos muito espaço no armário. Desta é mais fácil organizá-la para que fique prática e visível, além de ajudar a conservar melhor a roupa e evitar que fique amarrotada.

Depois de destralhar, chegou a hora de limpar o armário e pensar na sua organização.

Para personalizar o armário pode forrá-lo com papel autocolante da sua preferência. Fica muito bonito e é mais fácil de limpar.


Imagem retirada da Internet
Um armário deve ter um espaço para pendurar roupa, prateleiras, gavetas e se possível uma parte para colocar calçado.

Cada peça de roupa deve ter um lugar específico para que saibamos sempre onde estão guardadas todas as peças e não percamos tempo à sua procura.

Organizar por tipo e por cor (cores claras para as mais escuras) é a melhor forma, para que seja automática a sua visualização.

Coloque as peças mais usadas na frente e as menos usadas atrás. Roupa usada só em ocasiões especiais deve ficar guardada na parte de cima do armário, devidamente organizada e identificada.

O que pendurar:

Vestidos, saias, blazers, calças sociais, casacos, camisas e blusas devem ser pendurados em cabides iguais para que haja harmonia e ganhe espaço. Para mim, cabides de madeira são os mais bonitos, apesar de ocuparem um pouco mais espaço.

Os ganchos dos cabides devem ficar virados para o fundo do armário, para que ao retirar os cabides seja mais fácil.


Imagem retirada da Internet
Evite colocar mais que uma peça no mesmo cabide para que fiquem todas visíveis. Caso não seja possível, pendure no máximo duas peças, mas que sejam de categoria semelhante, camisas com camisas, etc.

Use elásticos ou velcro nos cabides para pendurar peças mais moles, para evitar que caiam do cabide.


Imagem retirada da Internet
O que dobrar:

Camisolas e casacos de malha, t-shirts, shorts, leggings, pijamas, gravatas, roupa interior, fatos de banho, bikinis e meias. As calças de ganga também podem ser dobradas ou enroladas, e colocadas em prateleiras ou gavetas, e assim ganhar espaço nos cabides.
Imagem retirada da Internet
Os lenços e écharpes, gravatas e cintos, podem ficar pendurados na porta do armário, para poupar espaço nas prateleiras ou gavetas.


Imagem retirada da Internet
Imagem retirada da Internet
Caso não tenha muitas gavetas, pode sempre optar por usar caixas em prateleiras, que podem muito bem ser usadas como gavetas.

Esta é também uma boa opção para quem tem poucas prateleiras. Este organizador pode ser comprado no Ikea.
Imagem retirada da Internet
É preferível usar caixas transparentes para que o seu conteúdo seja visível.

Separe por gaveta cada tipo de roupa, ou use separadores caso a gaveta seja grande e queira guardar outras peças diferentes.

Dobre as cuecas tipo envelope e coloque-as em fileiras não esquecendo a cor.


Imagem retirada da Internet
Os soutiens devem ser guardados abertos para que não se deformem.


Imagem retirada da Internet
Meias não devem ser enroladas uma dentro da outra, para não estragar os elásticos, junte os pares e dobre-as ou enrole-as uma sobre a outra. Coloque-as também em fileiras e por cor.
Imagem retirada da Internet
Organize as peças nas gavetas na vertical, desta forma tudo ficará visível e mais ordenado, além de poupar imenso espaço nas gavetas.

Imagem retirada da Internet
Os calçado deve ficar guardado em caixas, se o guarda junto à roupa. Aqui há duas boas opções: Em caixas opacas, para melhor os identificar, tire uma fotografia ao calçado e cole-a na parte da frente da caixa, fica o máximo! Isto claro, se tiver paciência para o fazer!
Imagem retirada da Internet

A outra opção é guardá-lo em caixas do Ikea que têm um visor transparente. É o que eu tenho no meu armário e recomendo vivamente!
Imagem retirada da Internet
Há também outras excelentes opções para guardar calçado, isto para quem tem um armário grande ou uma sapateira.
Imagem retirada da Internet

Imagem retirada da Internet
Imagem retirada da Internet
As botas devem ser guardadas de pé, e com enchimento (use garrafas de plástico de 1,5l) para que não se deformem, caso não seja possível, opte por deitá-las em caixas.
Imagem retirada da Internet
Imagem retirada da Internet
Por último, use e abuse de organizadores, não precisam de ser organizadores caros ou comprados, o que é importante, é que funcionem.

Para que a roupa fique sempre a cheirar bem:
  • Nunca guarde roupa já usada sem a arejar primeiro, durante umas horas.
  • Coloque saquinhos de cheiro, nas gavetas e zona dos cabides.
  • Use um amaciador de roupa do seu agrado e que deixe um cheirinho prolongado, como é o caso do Comfort  lírios e morangos, veja o meu post sobre este amaciador, clicando AQUI.
Espero ter correspondido ao pedido da Daniela, de forma clara e precisa, e devo confessar que é sempre um prazer atender a um pedido duma leitora!

Obrigada por seguir o Blog!

Marlene Borges

sexta-feira, 23 de junho de 2017

Poupe tempo a passar a ferro

Passar a ferro é uma tarefa chata e cansativa, para não dizer uma valente seca! Eu detesto passar a ferro, e para minimizar ao máximo o tempo que passo a passar a ferro, uso todas as dicas possíveis e imaginárias, que me facilitem esta tarefa.


Imagem retirada da Internet
Todavia, tenho a certeza que tal como eu, há muitas pessoas que sofrem do mesmo mal! O problema é que a maioria da roupa que usamos, tem mesmo que ser passada a ferro, por isso não temos outro remédio, senão meter mãos à obra! 

Entretanto, veja as dicas para poupar tempo a passar a ferro, fazendo-o de uma forma eficiente e rápida:

Não sobrecarregue a máquina de lavar roupa, para que a roupa fique bem lavada e saia menos amarrotada.

Baixe as rotações da centrifugação, para que a roupa fique com menos vincos (principalmente no verão, no inverno é mais difícil porque a roupa sai mais molhada).

Estenda logo a roupa assim que a máquina acabar de lavar.

Sacuda muito bem a roupa antes de a estender.

Pendure as camisas em cabides de plástico (os cabides de madeira podem manchar a roupa). 

Não deixe a roupa secar em demasia, para que os tecidos não fiquem duros e difíceis de passar.

Humedeça as peças muito secas com um borrifador.

Dobre logo a roupa, assim que a tirar do estendal. Há imensas peças de roupa, que na minha opinião não precisam de ferro, tais como: roupa interior, pijamas, alguns tipos de t-shirts, toalhas, sweatshirts e algumas malhas.

Invista num bom ferro a vapor ou ferro a caldeira.

Leia atentamente as instruções da roupa antes de a passar a ferro.

Comece pelas roupas mais difíceis de passar, para que não tenha no fim a tentação de adiar passar estas peças de roupa, porque está cansada.

Ordene as peças consoante a temperatura do ferro que necessitem.

Coloque folha de alumínio por baixo da capa da tábua de passar a ferro. Desta forma, o calor não se perderá e será distribuído de uma forma mais homogénea.

Quando comprar roupa, opte por tecidos que sejam fáceis de passar, ou que não precisem de ser passadas a ferro (de preferência!!)

Com estas dicas, acredite que ganhará tempo a passar a ferro, basta segui-las!

Por fim, uma lista de tarefas da lavandaria que não resisti em partilhar ahah!



Obrigada por seguir o Blog!

Marlene Borges

quarta-feira, 21 de junho de 2017

Elimine a tralha de sua casa

A maior parte das pessoas tende a acumular tralha ao longo da vida. Obviamente umas mais que outras. Contudo, há sempre algo que teimamos em guardar, apesar de não usarmos ou não gostarmos.

Imagem retirada do blog Itsnotsosimple
Acumular tralha pode ser uma doença, mas hoje não é sobre os acumuladores compulsivos que vou falar. Este post é dirigido a todas as pessoas, que querem efetivamente eliminar a tralha da casa, para se sentirem mais libertas e renovadas.

A tralha pode afetar a nossa vida duma forma perturbadora e desanimadora, criando stress, mau estar e até sentimento de culpa.

A acumulação de tralha bloqueia a criação de espaços harmonizados, saudáveis e com boas energias, aqui o lema "menos é mais" não podia ser melhor aplicado.

Destralhar é retirar da nossa casa, o que é desnecessário, e o primeiro passo, para se começar a organizar. Sem este passo é impossível tentar sequer organizar, porque tralha não se organiza.

O que destralhar

Tudo aquilo que está estragado e que não pode ser reparado;
Tudo aquilo que está com mau aspeto;
Tudo aquilo que não usamos;
Tudo aquilo que não nos serve;
Tudo aquilo de que não gostamos;
Tudo aquilo que nos atrapalha;
Tudo aquilo que nos fere visualmente;
Tudo aquilo que nos traz más recordações;
Tudo aquilo que temos em duplicado.

Claro que o que é tralha para alguns, pode não ser para outros, então porque não doar tudo aquilo que está em boas condições, mas que não usamos.

Depois de fazer um “destralhamento” geral a toda a casa, não se esqueça de criar o hábito do “destralhamento” diário, para que não haja acumulação e o processo seja bem sucedido.

Então convencido! Se sim mãos à obra!

Obrigada por seguir o Blog!

Marlene Borges